Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog sobre tudo e nada

O nome diz tudo, blog pessoal, partilhado com o mundo e para não ser levado (demasiado) a sério!

Blog sobre tudo e nada

O nome diz tudo, blog pessoal, partilhado com o mundo e para não ser levado (demasiado) a sério!

24
Out17

Demi, I love You

Longe já vão os meus tempos de adolescência, onde juntava uns trocos para comprar os CD's dos meus ídolos e os ouvia até riscar.

 

Confesso que não tenho uma banda favorita, um cantor/a de quem seja devota (só a Adele, um bocadinho) mas a obsessão típica de adolescente não tenho, atualmente ligo mais aos eventos de prémios musicais pelos outfits que as estrelas levam do que propriamente pelas qualidades vocais dos artistas, mas confesso que há uma artista pela qual sempre tive um carinho especial. 

A empatia que tenho por esta miuda sempre foi grande, mesmo não ligando muito ao que ela canta, mas reconheço que tem uma senhora voz e apesar de ser pequena em altura, Demi Lovato é muito grande em voz.

 

Para quem não conhece, aconselho a ver o novo documentário do youtube, Complicated, onde a Demi se dá a conhecer e fala sem papas na língua sobre os seus problemas (distúrbio alimentar, toxicodependência, negligência familiar e claro o amor). Apesar de ser uma miúda que faz o que gosta e para além disso ganha bastante dinheiro com isso (não são muitos que se podem gabar disso) é uma jovem normal, do Texas, com problemas como toda a gente. Mesmo sendo LINDA mostra as suas fragilidades, o que a torna muito "normal". Para quem conhece ou não faz a mínima ideia de quem estou a falar, vejam o documentário. É um pouco extenso (1h40) mas está realmente bem feito  e Demi, se já gostava de ti, hoje não passo o dia sem ouvir o teu novo hit "Tell me you love me"...arrepia de início ao fim... 

 

Demi Lovato

 

09
Out17

Meu lindo Porto

Todos os sábados me dirijo à minha segunda cidade, a bela da IMBICTA!! Estou a frequentar um curso, nas manhãs de sábado, de modo que mato sempre as saudades da cidade nesta altura, mas confesso que já há bastante tempo que ir para o Porto se torna um 31 do caraças...o trânsito infinito, o boom de gente que não sei de onde surgiu, o acumular de trabalho que me esgota e que mal chega o sábado penso: Lá tenho eu de ir ao Porto, outra vez! 

 

Este sábado aproveitei para estar com uma amiga minha, que apesar de viver no Porto já não a via desde Março  é triste , mas é a verdade...o people deixa-se levar pelas rotinas e depois esquece-se de aproveitar os momentos com aqueles de quem mais gosta...

 

Combinamos almoçar na Baixa, na hamburgueria steak and shake (mais uma comparação para o Best Burguer ) e qual é o meu espanto que depois de deixar o carro, no parque dos aliados, me deparo com uma fila de km de pessoas para entrarem na livraria LELO . As esplanadas estavam a abarrotar de gente, ouvia-se um italiano perfeito nas ruas, um inglês puxado e até um alemão ranhoso  era estrangeirada que não se podia...Até ao almoço fiquei incomodada com as pessoas que tiravam fotos à parede de azuleijos da Joana Vasconcelos, cartão de visita da hamburgueria steak and shake, que tem algumas mesas junto às janelas da obra de arte e numa das quais nós estávamos a almoçar.

 

 

Depois de almoço, seguimos para uma cusquice de esplanada e decidimos matar saudades dos melhores eclairs da cidade, na Leitaria da Quinta do Paço, mesmo ali ao lado. Após uma longa espera no atendimento, os sumos naturais vieram em todo o seu esplendor "NATURAL" e estavam quentes, porque laranjas no frigorífico é old school... Foi uma desilusão tão grande...estava um calor dos diabos, uma confusão de gente que só visto...tudo estava cheio.

 

Percebo que é ótimo para o nosso comércio, a nossa economia a fluir, mas fica impossível para os da casa usufruirem da nossa cidade tão linda e única. 

 

Portugal está na moda, ganhámos o óscar do turismo, sabemos receber, temos qualidade (ainda não vi comida melhor que a nossa ) e somos um povo simpático e até submisso para com a estrangeirada... óbvio que quem vem, gosta e revisita, mas tenho saudades do meu Porto de há 8/10 anos atrás, onde era tudo tão mais calmo 

 

 

03
Out17

Outubro

Outubro

Para mim, o melhor mês do ano, talvez por ser o mês do meu aniversário (e o que eu adoro festejar o meu aniversário ), mas também porque é o expoente máximo do Outono, a minha estação do ano favorita, a par do Verão, claro!

 

Outubro já puxa aquele casaquinho mais quente, as tardes de fim de semana enroscados no sofá a ver filmes/séries, com a mantinha, mas também não nos impede de sair de casa, para umas voltas, porque o frio também não é exagerado.

 

As folhas das árvores começam a encher as ruas, as coleções de Outono já estão espalhadas pelas lojas a todo o gás e as cores das cidades mudam.

É altura de mudanças...Outubro "cheira" sempre a mudança...

 

Há uns tempos, li um artigo de uma empresa de recrutamento, que este é o melhor mês para envio de Currículos. Já passou a folia das férias, as empresas já retomam as suas actividades a um bom ritmo e têm mais precepção das suas necessidades, portanto para quem está à procura de boas/novas oportunidades, deve aventurar-se!

 

Bem vindo Outubro, bem vindo Outono e bem vindas novas oportunidades...

09
Ago17

Marrocos #2

Depois de uma noite descansada, com o AC perto do máximo, estávamos prontos para iniciar a aventura pela Medina de Fez!

 

Tivemos encontro marcado com o nosso guia, o Said, que para além de ter um sentido de humor muito apurado, é conhecedor da história profunda daquela cidade. Fez-nos um resumo do que iríamos visitar e alertou-nos para o facto de que facilmente alguém se poderia perder pelas mais de 9 mil ruelas da Medina. Em filinha lá o seguimos e a paragem obrigatória foi a porta de entrada na Medina, Bab Boujloud, que dispõe de duas cores: para entrada (azul) e saída (verde).

 

 

 

A aventura ia começar e lá entramos nos labirintos da Medina, seguindo à Madraça Bu Inania, a única com um Minarete (torre de Mesquita), pois além de escola também funcionava como Mesquita, às sextas-feiras. É um edifício lindo, cheio de pormenores, todos feitos à mão, com a entrada principal que dá acesso a um grande pátio central, com chão de mármore e um pequena fonte para a purificação aquando do chamamento à oração. Ao fundo do pátio situa-se uma sala de oração. No piso superior, em volta do complexo principal encontram-se os quartos dos estudantes.

 

 Daqui seguimos, pelo labirinto da medina, descobrindo uns Riads lindos no caminho, parámos numa loja de artesão/artistas, onde tivemos acesso a peças lindas de bronze e prata e onde as mulheres puderam iniciar as suas compras  eu própria não resisti e comprei um prato de bronze todo trabalhado e uns copos para o chá.

Também tivemos direito a breves explicações sobre os costumes, nomeadamente nos casamentos e dotes. 

 

A paragem seguinte foi num tear, onde me perdi completamnete na beleza dos tecidos e lenços disponíveis. Coisas lindas e como é óbvio na mala vieram 4 lenços novos (2 turbantes típicos, 1 lenço de ceda e organza e 1 de caxemira).

Alguns do grupo puderam experimentar as vestes típicas 

E a última paragem antes do almoço foram os curtumes - local para tratar o couro, onde o cheiro é muito característico e muito forte. Á entrada é-nos dado folhas de hortelã para enganar o nariz e esquecermos que as pessoas lá em baixo andam em tanques com dejectos de animais para o tratamento das peles.

 

 

 No final seguimos para o restaurante. A barriga já dava horas e íamos experimentar as famosas tagines. O pão que servem de entrada é fantástico, assim como as azeitonas, mas é preciso gostar de picante!  Também nos é dado para experimentar umas saladas, uma pasta de pimentos, tomate e especiarias (de comer e chorar por mais ) e uns feijões muito bons. O picante é o ingrediente master!! Para prato principal escolhi o cous-cous com verduras e carne. Gostei bastante, mas vinha uma dose que alimentava 2 pessoas  Aliás, em quase todas as refeições, as porções eram bem generosas! 

(O próprio restaurante tem a mesma arquitetura do Riad onde estávamos hospedados)

 

Durante todo o nosso passeio de manhã haviam uns senhores feitos paparazi atrás de nós a sacar todas as fotografias que podiam, houve alguns momentos que eu me sentia a Kim Kardashian, mas no fundo não percebia muito bem o que era aquilo ou o que representava. Á saída do restaurante percebi que esses mesmos senhores já tinham impresso todas as fotografias e tinham-nas expostas e à venda. Claro que houve um momento de regatear e lá conseguimos 3 fotografias por 5 dirhams ( 1euro=10dirhams) e com um euro trouxe 6 fotografias. 

 

A parte da tarde foi reservada para a visita a uma fábrica de cerâmica, Art Naji. Assistimos à construção de peças de barro típcas, mesas de azuleijos e todo um trabalho manual de pintura de barro, este feito por mulheres e que nos deliciou as vistas! 

 

 

 Já de regresso ao Riad, para um breve descanso, antes do jantar, parámos em frente ao Palácio Real, no bairro La Mellah, residência do rei quando este se encontra na cidade.

 Também conhecido como o palácio das 7  portas (pelos sete dias da semana), estas são de madeira maciça e bronze e as suas cores alternam entre o azulejo típico azul e verde, correspondendo ao simbolismo de Fes e Islão respectivamente. 

 

 

09
Ago17

Marrocos #1

Como tudo na vida, o que é bom termina à velocidade da luz e as férias não são excepção!

 

O destino estava traçado, uma semana em Marrocos, com um grupo de se lhe tirar o chapéu, éramos 31 pessoas, todas diferentes, mas todas com a mesma vontade, descobrir o que Marrocos tinha de melhor. Tinhamos a viagem dividida em 3 partes: uma chegada a Fez, uma passagem no Deserto e uns três dias na famosa Marrakech. 

 

A viagem foi cansativa, tivémos a sensação que demorámos um dia inteiro a lá chegar, talvez devido à escala em Barcelona, que também proporcionou umas voltas pela La Rambla, uma paragem no mercado La Boqueria, um pic-nic (como bons portugueses que somos ) e umas caminhadas debaixo de uns belos graus que encostaram até os mais bem preparados.

 

 

A chegada a Fez foi por volta das 22h, passámos por vários postos de controlo, mais uma espera valente para o carimbo do passaporte e quando finalmente saímos do aeroporto tínhamos o transfer à nossa espera para o Riad Mazar, que foi sem dúvida uma excelente escolha. Apesar da nossa chegada tardia, fomos recebidos com um chá de menta muito bom e uns biscoitos típicos que aconchegaram o estômago da viagem um pouco atribulada. A simpatia do staff que nos recebeu encheu-nos as medidas e o Riad era lindo, o que foi um ótimo cartão de visita!!  Mas no final todos estavam cansados e só queríamos uma cama e um ar condicionado virado bem para nós, uma vez que o calor era muuuuito, mesmo durante a noite!!! 

 

 

 

  

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D