Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog sobre tudo e nada

O nome diz tudo, blog pessoal, partilhado com o mundo e para não ser levado (demasiado) a sério!

Blog sobre tudo e nada

O nome diz tudo, blog pessoal, partilhado com o mundo e para não ser levado (demasiado) a sério!

04
Jan17

IoIô

Este post não se dedica aos nossos antigos brinquedos, mas sim à mania que nós mulheres temos de fazer dietas e as consequências que estas acarretam!

Diz a minha mãe que eu era uma "pisca" a comer, em criança. A vontade de correr e brincar era muito maior do que permanecer sentada à mesa a ingerir aquilo a que era obrigada. Com a idade esse hábito mudou, no entanto até aos 17 anos sempre fui uma pessoa com um "peso normal" para a minha altura. E em que é que os meus 17 anos mudaram esse facto?

A FACULDADE!!! 

Onde vivo não há cadeias de fast-food e quando cheguei à Imbicta, todo um novo mundo de iguarias me foi apresentado! O primeiro ano foi terrível, ganhei péssimos hábitos alimentares, comecei a dar uns toques na cozinha e ganhei mesmo gosto naquilo, no entanto a maneira de confessionar os pratos não era a mais saudável. Logo no primeiro ano engordei 13kg! Claro que para mim foi muito complicado aceitar a minha nova imagem, mas em vez de tentar logo melhorar os hábitos alimentares e cortar o mal pela raíz, as festas dos anos seguintes e as jantaradas com os amigos falavam mais alto e dos 13kg a mais, passei aos 20kg num instante. 

Quando terminei o curso, regresso à terrinha e foi aí que em frente aos espelho detestava o que via, chorei horas, até que decidi ir a um nutricionista e começar a praticar alguma actividade física. Increvi-me num ginásio e ia 2 vezes por dia (da parte da manhã fazia musculação e ao fim do dia fazia as aulas de grupo), cortei radicalmente nos doces e passei a alimentar-me melhor. Ao fim de 2 meses os resultados eram visíveis e estava tudo a encaminhar-se para um final feliz, até que os currículos que enviara antes das férias estavam a chamar por mim e comecei a época das entrevistas e finalmente consegui trabalho, no Porto. Não me mudei para lá desta vez, porque o estágio do IEFP não dava para pagar renda mais contas e não ia novamente depender dos meus pais! 

Saía de manhã cedinho para o Porto e voltava já de noite, com mais de 8h de trabalho em cima, logicamente que a disposição para o ginásio era muito menor e como passava muitas horas sentada, qualquer progresso na perda de peso não se fez sentir. Estagnei. 

Entretanto tentei de tudo, a dieta da farmácia, onde me entupia de suplementos e drenantes e comia apenas alface nas primeiras 3 semanas (resultou até certo ponto), depois volto ao ginásio, mas sentia-me fraca. Passo a um acompanhamento nutricional on-line onde me "enchia de comida". Passei a ingerir os alimentos da moda: aveia, trigo sarraceno, espelta, chia, zero gluten, despertar dos budas, pão shape, sementes de todos os tipos,mas não surtiam efeito. O meu organismo sentia-se vada vez mais inchado e eu cada vez mais desiludida. 

Até que, em Novembro do ano passado, resolvi mandar tudo às favas, desfiz-me de todos os produtos light que tinha em casa e os produtos da moda e comecei a comer de tudo, com algumas regras impostas por mim! Tenho atenção às quantidades, faço uma refeição livre por semana onde como o que me apetece de gordices e nos restantes dias sigo um plano clean, sem massacre e os resultados apareceram.  Antes do Natal tinha menos 5kg (durante o Natal devo ter recuperado 2kg na tranquilidade das férias!) mas a moral deste "testamento" é que a nossa força de vontade vence qualquer obstáculo e quando atingimos um equilíbrio das coisas, somos bem mais felizes!! A opinião dos outros vale o que vale e as mudanças devem partir de nós próprios!

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D